10.26.2006

Primeiro dia

do segundo ano catequese, confusão de pais, crianças, catequistas e paroquianas (naquela paróquia fazem catequese mais de 200 miúdos).

Pelos corredores, conversas soltas:

"- Ai fica com a C. A.? É a filha da Zezinha e do António?" (para a criança):"Olhe, vai ficar com uma catequista muito querida!!!!"

"- Não, na quinta não pode mesmo ser, é que o meu marido é MÉDICO e faz urgências à 5ª feira, por isso não dá mesmo jeito:"

Tudo dito em tom muito alto e afectado, não vá a "Tia C." (directora dos catequistas) estar a ouvir.

E na missa das crianças da catequese dobram a lingua 5 vezes para não chamar "tio" ao frade que dá a missa.

Esta gente leva à letra o sermão de Jesus que reza: "Bem-aventurados os pobres de espírito pois deles será o Reino do Ceús."

7 comments:

pal said...

ai os "tios"... até à idade adulta julguei que era coisa de lisboetas e afinal...
ainda hei-de falar sobre isso no blog, que já tem criado confusões na I.


já os tons afectados são outra história... que conheço menos.

Margarida Atheling said...

Pois isso dos "tios"...
Habituei-me (habituaram-me ?)a tratar algumas pessoas assim. Confesso que acho que dá um certo jeito. Dá-me mais jeito chamar "tia" a algumas pessoas do que Srª.X ou Dona Y, quando essas pessoas nos são muito próximas mas não têm um laço de sangue tão próximo assim.
Mas não suporto as pessoas que o fazem com esse tom afectado. E são tantas!!! Algumas delas ( a esmagadora maioria) até tem vergonha e esconde a família a que pertence. Não têm é noção de quão ridiculos se tornam.
Alpinistas sociais e gentinha afectada... já nem sei se me irritam ou se me dão pena, coitados!

Beijinhos

Clara said...

Meninas, eu também chamo "tio" a muita gente: amigos dos meus pais (desde pequena) e pais de amigos...acho normal, o que me irrita é a afectação. Ao contrário da Pal, conheço muitos, imensos, lido com isso diáriamente. E também acho isso, Margarida, que a maioria se comporta assim porque quer mascarar a sua origem.

100 nada said...

Estou com a Clara, também chamo tio e tia a amigos dos meus pais. Ou chamava, até uma certa idade, depois passei a tratar pelo nome os que conhecia de novo. Até é uma forma prática, mas claro que é o tom que indica o que se passa ali...

Mas a primeira vez que filhos de amigos dos meus pais (a quem eu tratava pelo nome e mais próximos da minha idade) me trataram a mim por "ó tia", juro que olhei para trás a ver com quem estavam a falar. :)

100 nada said...

Olha dava um post!

Idade avançada é quando deixamos de tratar os amigos dos pais por tios e os filhos deles nos passam a tratar por tia. :DDD

Clara said...

Cat, sabes que eu ía mesmo fazer isso? Não me faz confusão nenhuma q o s meus filhos me chamem mãe, mas qdo filhos de amigos me chamam tia, sinto-me completamente a cair da tripeça.

Cool Mum said...

É mais uma questão de forma (neste caso de som) do que de conteúdo. Facilita a vida aos miúdos. E a mim já não me 'entra por ouvido e sai pelo outro', mas também não me chateia que me tratem pelo nome.

pessoas com extremo bom gosto