8.06.2007

Do divórcio

Dividem-se as casas, as coisas, as fotos, as memórias, os filhos.

Como se dividem os filhos? Em saudades quando saem de férias para só voltarem daí a 15 dias.

Em períodos de telefone em que nos despacham. Em "estamos tão bem aqui" e ainda bem que não precisam da mãe, mas, temos pena, a mãe precisa de vocês.

Na verdade não somos mais do que as pessoas que tomam conta deles durante uns tempos, para eles.
Na verdade pois ainda bem que estão bem onde estiverem, claro.
Na verdade podiam só sentir um bocadinho a falta da mãe, e não precisava de ser essa dor surda que a mãe sente quando descobre uns calções debaixo de uma cama ou um desenho que nunca tinha visto escondido num fundo de uma mala, era um bocadinho só.

Dividimos tudo que afinal é nada quando o dividir é partir em dois o já tão pouco tempo que eles no fundo vão querer passar connosco.

5 comments:

claudia said...

E há que aprender a viver com isso!!

;)

said...

não te iludas. eles precisam infinitamente mais de ti do que nessas conversas apressadas com que nos deixam ao telefone. eu conheço bem esse filme: um dia estranhas que te digam do outro lado do telefone que "hoje é que foi pior, umas lagrimazitas, que tinham saudades da mãe". custa mas é bom saber que entretanto eles não ficam presos às saudades tanto como nós, que são mais de repentes, e que entre os quais, são soltos e felizes. não concordas?

LP said...

:(

Nem penses que eles não precisam de ti, seja onde for que estiverem, seja que idade tiverem.

Varanda said...

dividir... ou prescindir?

Cool Mum said...

Claro que somos, e tu sabes que sim.

pessoas com extremo bom gosto