3.20.2012

post mega original pelo mero facto de não mencionar a primavera

ontem acabei de ler o livro do valter hugo, o filho de mil homens.

é um livro muito bonito, talvez dos mais belos que li ultimamente [pois, antes deste estive a ler sobre as torturas durante o regime de um ditador dominicano, é um facto].

este livro já foi usado como bandeira no debate sobre a adopção por pms e faz todo o sentido, porque fala de famílias reconstruídas, voluntárias, e acredito que fosse muito difícil a algum escritor escrever sobre isso tão bem se não vivesse intensamente uma situação semelhante [ainda que hipotética].

se eu fosse escritor* queria escrever assim, sobre coisas que conheço, e com o coração todo dentro dos livros que escrevesse.

*não tenho a menor intenção, descansemos.

10 comments:

Pollykc said...

mencionaste... no título :)

Clara said...

eu sei ;)

S* said...

É um senhor que admiro.

stantans said...

sem dúvida, bonito é a palavra certa para descrever o livro

S. G. said...

já li quase tudo do homem....lamento mas o furacão "o remorso de baltasar serapião" esmoreceu...para grande pena minha...

Miss Kinky said...

nunca li nada do Valter Hugo Mãe...e cada vez que leio uma critica (são sempre boas) fico cheia de vontade de ler. vou tratar disso!

Clara said...

eu tb só li este e a máquina de fazer espanhóis, muito bons.

mas o SG ali em cima diz que o remorso de baltasar serapião não é grande coisa.

Ana said...

sempre li a poesia dele e talvez por achar o género insuperável, fui resistente a ler os romances. comecei quando numa crítica alguém escreveu "valter, o teu livro dá-me vontade de abraçar pessoas no metro".

Maria Flausina said...

Não me parece que o S. G. tenha dito que o "remorso..." não era grande coisa. Eu percebi exactamente o contrário: depois do "furacão" que foi o "remorso..." a escrita de VHM esmoreceu...
Foi o que percebi, se estou errada, perdoem-me.
Acabei de ler ontem o "remorso..." e gostei muito, mas, pelas opiniões que tenho lido por aí, já percebi que não deve ter muito a ver com o que ele escreveu depois (que ainda não li mais nada).

S. G. said...

peço desculpa...fiz-me entender mal..."o remorso de baltasar serapião" é um furacão (mais propriamente o valter que escreveu esse livro, era o furacão da língua portuguesa, segundo palavras do magnânimo saramago)...

eu confirmo, esse livro é um furacão...os que leste não gostei muito....declínio normal da pressão de fazer mais, e bem, e rápido...

pessoas com extremo bom gosto