2.13.2009

Do dia dos namorados



A pessoa começa a receber newsletters e notificações logo no início do mês, o que significa duas semanas inteiras com o mundo a lembrar-nos os losers - o termo politicamente correcto é "pessoas com sentido de selecção extremamente apurado" - que somos por não termos ninguém com quem gozar dos casalinhos bregas que jantam fora, enquanto secretamente esperamos receber um presente (em privado, claro, ir jantar fora com o namorado neste dia é como ir para o trabalho mascarada na segunda de carnaval - impensável).
Calhando a um sábado sempre é maneira das crianças se safarem dos cartõezinhos que são obrigadas a fazer na escola. Ou seria, se os professores não se lembrassem de antecipar a coisa para hoje. Na escola dele a educadora, muito pouco dada a manifestações românticas em criancinhas, mandou-os escolher um "amigo especial" (para mandar cartão, suponho), ele foi escolhido pelo Diogo.
Ora eu adoro a diversidade, quero mais é que toda a gente (quiçá mesmo animais) possa casar entre si, adoptar, tudo e um par de botas. Mas tenham dó, não ando a pagar um colégio para me transformarem o puto em rabiças (é que nem o deixaram escolher se queria mandar para uma miuda ou um miudo).

2 comments:

joão amaro correia said...

mas estas festividades todas, sabes por que são, não sabes?
quem nasceu nesse dia?, que foi? - po isso é que esse alguém ficou como ficou. a desgraça que se vê.

j

Maria Inês said...

na finlândia o valentine é o dia dos amigos.

pessoas com extremo bom gosto