1.05.2007

Naquele dia, minha querida

a mãe estava piegas sim.

Não é triste nem te posso explicar como é. Mandei-te muitas mensagens no messenger a dizer que gosto de ti porque era isso mesmo. Pegar em vocês e dizer que gosto tanto, tanto, tanto. Que nada vai nunca ser mais importante do que isso. Que são vocês, somos nós e seremos sempre. Que vou estar sempre, sempre aí, mesmo quando não estiver, vou estar, vou estar dentro de vocês (não se esqueçam nunca).
Naquele dia, meus queridos, eu queria (quero) pegar em vocês e levá-los para outro lado do mundo, para que não tenham que passar por isso.
Que o desamor não se conta nem se explica, mas sente-se. Nem sei se vocês o sentem ainda.
Mas o desenho cheio de corações ("com um grande :) para a mãe. Nunca mais fica triste!!!!!") e um abracinho ("mãe tive tantas saudades tuas") parecem indicar que sim, que pelo menos o pressentem.

3 comments:

Catarina Campos said...

Nunca se irão esquecer. Um grande beijo, minha querida.

Costinhas said...

Só te posso deixar um beijinho.

MC said...

Um beijinho.

pessoas com extremo bom gosto