4.24.2007

Uma fábula para hoje:

"Na margem de um grande rio estava, um dia, um sapo que se preparava para o atravessar.
Enquanto isso chegou um escorpião. Também este precisava chegar à outra margem, mas não podia fazê-lo porque os escorpiões não sabem nadar. Percebeu que o sapo era a única possibilidade de chegar ao outro lado e pediu-lhe para o ajudar a atravessar o rio:

-Deixa-me subir às tuas costas e transporta-me até a outra margem. És grande o suficiente e não te cansarás.

Mas o sapo, que bem conhecia o veneno do escorpião, respondeu:
- Nas minhas costas? Estás louco! Vais me picar e injectar o teu veneno e morrerei!

E o escorpião:
- Então, porque faria isso? Preciso de atravessar o rio. É do meu interesse que tu vivas.

Com este raciocínio conseguiu convencer o sapo, e subiu para as suas costas. O sapo entrou na água e começou a nadar, levando consigo o escorpião. Assim que chegaram ao meio do rio, no ponto onde era mais forte a corrente e maior o esforço do sapo, o escorpião levantou o rabo e enterrou o ferrão com toda força nas costas do sapo. Enquanto o veneno mortal se difundia no seu corpo, sentindo que a vida se esvaía, o sapo exclamou:

- Maldito desgraçado, Não vês o que fizeste? Ambos morreremos: eu envenenado e tu afogado! Por que fizeste isso?!

E o escorpião, já se a ponto de se afogar:
- Porque eu sou um escorpião e esta é minha natureza."

5 comments:

Catarina Campos said...

E qual é a piada de ser fadinha? Ali na parvoeira, sempre a dar as asas, tipo mosca, sempre vestida com cores pirosas...bah!

Anonymous said...

Obrigaaaaaada pela volta! Desalinhada.

Clara said...

Cat, a piada é que as fadinhas são assim fofinhas e inofensivas. Não têm veneno nem costumam ferrar em quem as carrega...A maioria das pessoas prefere-as aos escorpiões (compreensível, sim).

Papoila said...

Pois por causa dessa natureza é que às vezes tenho um certo "medo" em ser como sou.. enfim!
Bjs

Margarida Atheling said...

Verdade, verdadinha!

(Que bom que voltaste!!!)

Bjs!!

pessoas com extremo bom gosto