4.30.2007

Saudades

Estou sem eles uns dias, sozinha.
Apercebo-me agora que é a primeira vez. De todas as outras tive companhia quando ficava sem eles.
Deve ser por isso que a cabeça ainda não se desligou, ainda penso em ir vê-los às camas antes de me deitar, passo pelos quartos e espanto-me das camas estarem feitas e tudo arrumado.

Não, não é verdade que lhe chamo Zoe. Em pequena era Cuca, agora quando está longe e ao telefone, Princesa. O resto do tempo trato-a pelo nome e muitas vezes aos gritos, a ralhar. Que posso fazer se essa é a minha função, educá-la, e se o faço quase sempre sozinha?

A ele trato-o pelo nome, sempre. Também tinha diminutivo (Duda) mas nunca foi particularmente usado. Na verdade muitas vezes invento outros nomes para ele mas é duma forma tão inconsciente que nem me lembro agora quais são (a memória, pois).
É tão despachado que não parece precisar de mim para nada (a não ser para lhe comprar kraks, bolos e gelados, que pede inecessantemente) diz que é um homem e pronto, faz tudo sozinho, desde pôr o cinto no carro a vestir-se.
Embirra comigo porque a cadeira do carro é de bebés (não é, é banquinho, tem é costas) e que ele é um homem, quer cadeiras de homem.

4 comments:

Margarida Atheling said...

:)
Sabes que me deu uma vontade de voltar a vê-los...
Quando te visitar, não podemos dispensá-los. Pelo menos, o tempo todo! :)

Bjs!

Clara said...

bom, o "quando" já foi bom de ouvir. E não, não os dispensamos o tempo todo (acho mesmo que não o conseguiriamos ainda q quisessemos).

Margarida Atheling said...

:)

claudia said...

Ah! Que bom voltar e ver que posso continuar a ler os teus posts fantásticos!
;)

pessoas com extremo bom gosto