2.23.2008

Vou buscar

a minha filha à missa e à porta da igreja está um homem sentado no chão com um cartaz. O cartaz diz "Tive um acidente e não posso trabalhar, tenho dois filhos, ajudem-me por favor". Está escrito sem erros e ao passar por ele o homem desfia uma ladainha. Respondo-lhe não tenho carteira e é verdade, venho só buscar a minha filha e deixei tudo no carro mal estacionado.
É óbvio que isto não interessa nada ao homem, sou eu que me justifico porque acho sempre que tenho que dar dinheiro quando alguém pede, porque podia ser eu ali sentada, não estou assim tão longe. Quando disse não tenho carteira não me estou a justificar para ele mas sim para mim, digo para mim não posso dar dinheiro ao homem (que podia ser eu) porque não trouxe a carteira. Sei bem que ele não me ouve e prova disso está em que, ao entrar e voltar a sair meros instantes depois, ele ao ver-me desfia novamente a ladainha e respondo-lhe não trouxe a carteira, já lhe tinha dito mesmo sabendo que não me estou a justificar a ele, por esta altura já entendi que não fala português, este homem (que deixou de ser homem e se tornou no "poderia ser eu" e mesmo no "se calhar um dia sou eu").
E então a senhora de idade que vende revistas da igreja, noutro lado da porta, começa também, que ele não tem nada que estar ali, que há sinais escritos proibindo pedintes à porta da igreja e aponta para os sinais numa vitrine, realmente lá está o sinal com desenho explicativo (provavelmente para os pedintes que não saibam ler ou não entendam português) e respondo-lhe mas está a chover, tanto aqui está abrigado, e ela, as revistas na mão, os lábios esborratados de um baton rosa choque, mas eu é que não estou para o aturar, não lhe interessa que ele tenha sofrido um acidente e tenha dois filhos para sustentar, talvez pense como eu que isso poderá nem ser verdade, mas que interessa isso, alguém pede sem precisar de pedir? Há razões mais válidas ou desesperadas para pedir?

4 comments:

Comendador Antunes de Burnay said...

(off topic, está muito bom assim.)

(talvez umas riscas horizontais brancas, mas nada mais)

sem-se-ver said...

(siga o off topic)

(quando ficar azul em fundo - e não precisa de riscas - aí é que sim.)

said...

(escamoteemos então o off topic: sem-se-ver, olhe que a tinha em melhor conta)

Anonymous said...

É meio assustador quando pensamos que podemos estar perto... torna-se mais doloroso... acho que é sempre assim...

RV

pessoas com extremo bom gosto