7.03.2007

Como descrever

é a dor dos músculos retesados pelos gritos calados, pela raiva surda que faz zumbir os pensamentos. É querer desatar a correr sem parar nunca, sem querer saber em que direcção, até os músculos aguentarem sem colapsarem.
É apenas não querer estar aqui (nem em lado nenhum no fundo), não querer saber de nada, de ninguém, de nunca.
É não querer ser, esperar, ficar, agir, correr, parar, dormir, acordar. É no fundo não querer nada a não ser que isto passe e, já agora, depressinha sim?

3 comments:

claudia said...

(xuuuuuuu mmmm mmmm mmmmmmm mmmm mmmm mmmmmmm)

;)

Varanda said...

... chama-se "conto de fuga"

Rita said...

está bem descrito

pessoas com extremo bom gosto