7.21.2007

Há qualquer coisa de sádico

nos paizinhos e mãezinhas*. Quando têm um filho, enquanto não convencem todos os que os rodeiam que aquilo é a 8ª maravilha do mundo não estão satisfeitos.
A verdade é que misery loves company e nenhum pai quer é ser o único do grupo a não dormir de noite, não ter um fim de semana descansado a ler os jornais e ver-se forçado a repetir os mesmos programinhas infantis vezes infinitas. Então quando finalmente descobrem que mais algum conhecido vai procriar, desfazem-se em "Parabéns, que bom!" e outras saudações efusivas que na realidade não passam de uma genuína manifestação de alegria por já não serem os únicos sacrificados e terem algum adulto com quem compartilharem as inúmeras horas a empurrar um baloiço.
Depois com o segundo filho, de novo. "Ah com dois é que vai ser, que giro, os miúdos a brincarem juntos e assim", quadro enternecedor. Mas, esquecem-se é de contar que 99% do tempo que os miúdos passam juntos estão à estalada e que para além das noites mal dormidas, fraldas, compras, horas a empurrar o baloiço ainda passam todo o restante tempo livre a arranjar estratégias de pacificação fraterna quase sempre muito mal sucedidas. Ao fim de um ano daquilo questionamos seriamente a opção de ter tido o segundo e começamos a pensar se será o terceiro que irá salvar a coisa...(não posso garantir, mas parece-me que não, que a tendência será piorar e que resta encolher os ombros e pensar nesses maravilhosos anos em que atingirão a idade adulta).

*obviamente que me incluo no grupo.

11 comments:

Cool Mum said...

LOL
Sem fraldas nem biberons já é bom... mesmo com 3!
Depois os paizinhos que procriaram mais tarde olham com indisfarçada inveja a descontracção, you know...

Ana Sousa said...

LOOOOL para as duas!!!!

LP said...

LOL para o post e esperança para mim, segundo a Cool. "Só" tenho de esperar mais uns 2 anos...

pal said...

e quem te garante a maravilha da idade adulta?! ;)

Clara said...

Alguém me garante que pelo menos trabalho não dão Pal, preocupações claro que serão para sempre.

Ah, já entrei na fase "que bom é estar deitada na praia" e prestes a entrar na "que bom é dormir até tarde ao fim de semana", chato não é?

Zuza said...

devo ser estranha pe NUNCA tentei convencer ninguém a ter filhos. mto até pelo contrário. Agora se já q tiveram a coragem de ter um aí sim, incentivo o segundo ao máximo. porque, q chatice, as minhas passam 80% do tempo bem entretidas uma com a outra e não me chateiam a mim ;)))

podes ter tirado a nav bar... mas em compensação dificultaste a leitura do post. Duplamente sádica? :P
(hoje acordei crítica lol)

Clara said...

Zuza, como dificultei?

Da nav bar já a tirei há uns 4 templates atrás...

Zuza said...

tens a coluna da direita (do slinks) em cima do post. pelo menos aqui aparece assim!

Miguel said...

A mim também me aparece um pouco encavalitado.
Quanto ao sadismo paterno, uma vez interiorizado que o mais difícil são os primeiros 25 anos, tudo se torna mais leve.

patrícia said...

eu nunca aconselhei ninguém a ter filhos, aliás eu acho que quem fala comigo desiste da ideia rapidamente.

Clara said...

Da sidebar? sim, já sei, vou tratar da coisa.

Ah Miguel, já interiorizei (já só faltam 22!).

Patrícia, é como eu, que eu no fundo sou mais generosa do que sádica.

pessoas com extremo bom gosto