12.17.2007

Do livro da minha vida

Nunca tive um livro que pudesse considerar da minha vida, até ler o "Sinais de Fogo" do Jorge de Sena. Na verdade conto ainda viver mais uns anitos, posso perfeitamente encontrar mais uns dois ou três (daí que não o possa mesmo considerar assim, com a quantidade de livros que quero ainda ler).
É uma espécie de auto-biografia, na idade adulta deu-me para isto, gostar de auto-biografias mais do que dos outros livros, como se ler a vida nas palavras dos outros fosse realmente importante. Em mais nova prendia-me muito mais pelos livros completamente fantasiosos.
No "Sinais de Fogo" tenho um carinho especial pela Mercedes. É a principal figura feminina e está muito mal definida pelo autor. Oscila entre a rapariga tontinha e uma mulher manipuladora e falsa. Ela é o motor de toda a história mas nunca se chegam a definir as motivações que a levam aos comportamentos que tem e eu fiquei à espera até ao fim do livro que o esclarecimento chegasse (nunca chegou).
Na verdade, todas as personagens femininas são um pouco maltratadas pelo Jorge, suponho que à altura em que escreveu o livro o sexo feminino fosse um poço de escuro desconhecimento para ele, oscila entre o fascínio e o desprezo pelas mulheres (totalmente misógino). Como compreendo o Jorge. Eu se tivesse tido talento para a escrita escreveria assim também sobre homens.

Vou passar esta a 6 homens: Qual é o livro da vossa vida (ou o que mais vos impressionou) e porquê? Respondam por favor. À laia de vingança podem depois passá-la a 6 mulheres (ou homens).
Antídoto, , Pitx, Leão, António e Otium.

12 comments:

http://antidoto1961.blogs.sapo.pt/ said...

Eu é a Bíblia :)))

Agora a sério, não consigo mesmo identificar o livro, música, filme, preferidos.

Mas consigo identificar o que mais me marcou, 400 páginas lidas de um fôlego, aos 12 anos: "A Maravilhosa Viagem de Nils Holgersson Através da Suécia", de Selma Legerlof, uma prémio Nobel praticamente desconhecida entre nós.

Margarida Atheling said...

Tive um livro que, durante um período, achava que era o livro da minha vida.
Era o "Mau tempor no canal" do Vitorino Nemésio.

Na verdade nem fui eu que o descobri, mas sim uma pessoa que, à época julgava que conhecia bem (e pensava também que fazia parte da minha vida), e essa pessoa julgava que me conhecia bem.

Hoje acho que é um dos livros da minha vida, ou é o livro de uma parte da minha vida. Mas neste momento, era incapaz de nomear "o" livro da minha vida.

Quanto a esse gosto que te nasceu pelas auto-biografias, passa-se rigorosamente o mesmo comigo.

Bjs

Pitx said...

clarinha,

lê isto aqui. já tem, salvo erro, dois anos.

http://pipaterra.blogspot.com/2005/04/inquritos-de-rua.html

não está muito desactualizado. mas está meio parvinho. no entanto, se este post não servir, avisa.

dás-me dois ou três dias e escrevo algo sobre o tema.

vale?

sem-se-ver said...

antidoto, só pelo final do seu comentário fiquei a sentir-me sua amiga. :)

clara,
viu o filme? é uma belissima adaptaçao concretizada pelo luis filipe rocha. e concordo consigo, é um romance soberbo.

Zé said...

Passo. Sou incapaz de eleger um único livro e tenho pouco jeito para dizer ou ouvir dizer mal das mulheres. Mas olha, sempre aproveito para te desejar um bom natal.

Clara said...

Pitx, acho que também já respondi a esse questionário. Supus logo que fosses responder com uma Lobantunada, que não suporto. Em formatos maiores do que as crónicas da Visão, enjoa-me. Isso e desde que li um livro dele perfeitamente abjecto (qual era? A Memória de Elefante ou assim).

Zé, que lacónico. Não estava a dizer mal de nenhuma mulher, nem de nenhum homem. Limito-me a incompreendê-los apenas. A ti então...

Clara said...

Sem-se-ver, não vi mas gostava muito de ver (no blockbuster não devem ter, não acha?).

Otium said...

... tenho um... confesso... marcou-me muito... não é um grande livro... é, simplesmente, um livro que fez sentido... "The City and the Pillar", do Gore Vidal... vou pensar melhor a razão e respondo-te depois... :))))

Leão da Lezíria said...

(Bolas, a Clara lança-me um desafio dos que eu gosto e eu demoro tanto tempo a responder...)

(Espero que ela entenda que estando de férias, um gajo se desleixa)

(As aventuras de Huckleberry Finn. Mark Twain. Sem dúvida. Mas não diga a ninguém, não é suficientemente adulto...)

(Nem eu...)

sem-se-ver said...

na fnac têm de certeza :-)

Leão da Lezíria said...

Clara, tenho um DVD a mais dos "Sinais de Fogo", posso oferecer-lho. Saiu numa colecção do "Público" há uns tempos. No dia dos "Sinais de Fogo" comprei duas vezes o Público, já a prever que, mais tarde ou mais cedo, você viesse a querer ver o filme.

Clara said...

A sério, Leão?????
:)

pessoas com extremo bom gosto