3.24.2008

A stroke of good fortune

Sim, estou a ler a Flannery O'Connor. Eu e metade da blogosfera. Acho mesmo que se não estivesse a ler a Flannery O'Connor mais dia menos dia o blogger me barrava a publicação de posts por não ser meritória de pertencer ao meio (tomem isto como um aviso, ou como quiserem).
Mas estou a gostar, até agora do "A good man is hard to find" este é o meu conto favorito. Nele uma mulher está grávida em negação total, acho mesmo que prefere pensar que tem cancro do que uma gravidez e esta comparação não é de todo despropositada. Uma série de células estranhas a crescer dentro do corpo. A falta de saúde. O pensamento a ser obrigado a centrar-se na coisa a toda a hora.
Acho que o que safa as grávidas são as overdoses de hormonas que apanham. E é possível que algumas fiquem viciadas naquilo. Isso explicaria aquelas mulheres que dizem coisas como "o meu sonho é ter 7 filhos" ou "eu se pudesse seria só mãe".

3 comments:

snowgaze said...

faz-me lembrar o house, quando anunciou a uma mulher que estava grávida, dizendo-lhe que tinha um parasita.

dora said...

Eu acho que é mesmo a pressão social e cultural, afinal, levamos com bonecas e esterótipos desde que nascemos.
Uma mulher que não goste de estar grávida é sempre olhada de lado. Uma mãe que não seja laboriosa e não açambarque as tarefas todas também é olhada de lado.
O conformismo ajuda muito nesta vida.

Clara said...

Ai o conformismo, pois. É qualquer coisa que me faz muita falta.

pessoas com extremo bom gosto