5.04.2008

Demasiado

Há muitos dias em que acordamos e achamos demasiado. É provável que sejam mais estes dias até do que os outros, ou pelo menos para mim são. No Natal o meu pai deu-me alguns livros, um dos quais da Doris Lessing, chama-se Amar de Novo. Ainda o estou a ler (já li outros no meio, aquele não sei porquê vai ficando para trás) mas não deixei de o olhar nunca como o livro da encalhada.
Hoje ao consultar a "recent keyword activity" do blog, no topo vejo "lista das mulheres que nunca namoraram" (quem o raio é que pesquisa uma lista de mulheres que nunca namoraram? Sim, sou encalhada, mas não exageremos); a seguir eis os "sentimentos virtuais" (tá bem tá); "aula patologia humana blogspot" (o quê?); "conto da doutora lésbica com a paciente" (não me parece que seja aqui no meu blog, mas pronto, podem continuar a mandar postais); "conto de sádico" (ui), "não vivemos numa sociedade machista" (ah pois não).

6 comments:

Otium said...

adoroooooooooo...

como é que se faz isso?

BlahBlahBlah said...

Como é que uma mulher que ainda não tem sequer o divórcio decretado pode considerar que se enquadra no estatuto de encalhada, huh? ;)

Clara said...

Otium, não acabaste com o blog? Só podes ter se tiveres blog...

blahblahblah, o estatuto de encalhada é, aqui como o de casada, absolutamente moral. E, no meu caso, um bocado absurdo (porque se fosse aplicável com propriedade eu não o propagaria aos 7 ventos, de vergonha).

BlahBlahBlah said...

Absurdo. Concordo :)

Clara said...

Mas...porquê? Já me viu? Até pode ser perfeitamente justificado...

BlahBlahBlah said...

Não, Clara, nunca a vi e nem preciso de a ver. Há estigmas que só existem na cabeça das mulheres :)

[É mais ou menos como a celulite...
alguma vez ouviu um homem comentar a celulite de qualquer mulher? É que nem reparam! Só nós.]

pessoas com extremo bom gosto