8.20.2009

Reflexão mínima

quem trabalha por passos habitua-se inevitavelmente a gravar periodicamente para não perder o que fez, e a pensar onde e como pode reverter cada pequeno passo, em caso de engano. o ctrl + z passa a ser o nosso amigo mais fiel. é por isso inevitável que mais tarde ou mais cedo este passe a ser o nosso modus operandi também no resto. ter sempre um plano b para os enganos, só tomar uma atitude se a soubermos seguramente reversível para não perder o que se fez. perdoem-nos assim as atitudes aparentemente calculistas. nós não somos assim, fomo-nos tornando, pelo hábito, viciosamente cautelosos.

4 comments:

Martim said...

Concordo. Há uma generalização do "sim, guarde-me, mas sem compromisso" das relações de clientela com estabelecimentos comerciais. Há quem diga que isso é maturidade e sabedoria.Eu acho que é cagaço.

Clara said...

falava no geral (porque de facto, eu agora se entro no carro já estou a pensar o que faço caso me engane no caminho, e isto para tudo).

de qualquer forma, não guardo nada sem compromisso (nem sem).

um beijinho.

Clara said...

(era "nem com", claro).

Miguel said...

Em alguns casos isso acaba por não acontecer. Muitas vezes vem, depois, o arrependimento...

pessoas com extremo bom gosto