12.13.2011

placebo

os melhores conselhos que recebi na vida foram os que mais me custaram ouvir. foi um pouco como um remédio: ardeu-curou.

no entanto não gosto nada de fazer o mesmo com as outras pessoas.
prefiro servir-lhes placebos docinhos que gostam de engolir, embora o efeito seja nulo. não porque me custe magoar alguém, apenas porque quando lhes sirvo o remédio verdadeiro fingem que o tomam mas nunca engolem. isto é, não ligam nenhuma e continua tudo na mesma, por isso para quê maçar-me.

mas admito que o problema seja meu, deveria administrar remédios disfarçados de rebuçados e não sei fazê-lo.

2 comments:

margarida said...

Os únicos que me dizem o que é, como é, quando é, são os meus pais. Os outros têm medo que eu não goste, que fique chateada, que não ouça. E até têm razão, os pais podem dizer tudo e vem sempre com a suavidade do beijo antes de dormir, os amigos têm aquela coisa chata das expectativas. Os amigos nunca estão certos porque connosco vai ser diferente, os pais têm a vida toda de experiência.

pi3rdfloor said...

Não o podia ter dito melhor. Assumo que cada pessoa tenha o seu papel num grupo de amigos, sendo que o meu não é dizer as verdades sem olhar aos danos.

pessoas com extremo bom gosto