6.26.2007

Da vaidade

a modéstia é uma magnífica qualidade da qual abuso diariamente. Agora vou mesmo ser completamente vaidosa, embora não seja de maneira nenhuma mérito meu o que vou postar.

Chegou ao pé de mim com um sorriso meio embaraçado, aliás chegou ao pé de nós, estavam mais duas pessoas no carro (o irmão e uma querida amiga minha) :

- recebi a ficha de avaliação.

- Foi "Muito Bom" a tudo? - pausa para me justificar: dias antes em conversa tinha alvitrado a possibilidade de ela ter "muito bom" a tudo, apenas porque a professora já tinha dito algumas das notas.

-Foi (baixinho).

-Boa.

Não lhe verifico trabalhos de casa, não a faço estudar, não sei precisar a matéria que estão a dar na escola. A maioria das mães daquela escola faz tudo isto. Este período foi ela a ter as notas mais altas e tenho sido sempre chutada das reuniões de pais com um "está óptima e tomara que assim continue". Não ligo assim muito às notas que tem, sou eu quem a consola quando tem apenas "bom" a alguma coisa (o que para ela é "quase negativa").

Passou o fim de semana em casa da amiga e foi a mãe dela a dizer-me que ela tem um óptimo raciocínio, por comparação com a filha (coisa que muito embaraçou, confesso desde já).

O mérito é dela, nem sequer me posso gabar de lhe ter passado bons genes, apenas metade deles serão meus.

E na verdade isto tudo me preocupa mais do que tranquiliza.

21 comments:

Margarida Atheling said...

É verdade! E mostrou as fichas sempre a dizer "oh, mas isto era tão fácil...". Nunca mostrou orgulho nenhum, nem o menor sinal de convencimento ou vaidade. De uma modéstia surpreendente. E autêntica, sobretudo!

E no entanto, os resultados estavam ali, bem à vista!

Tens toda a razão para estar vaidosa! Ela é, de facto, uma menina da qual é impossível não se sentir orgulho.
É inteligente, madura e sensata (para a idade dela) e um encanto de menina.
Para além de ter imensa pinta!

Sabes aquele abraço que ela me deu quando chegamos à Igreja? Soube-me pela vida e deixa-me já cheia de saudades!

Beijinhos, às duas!
(aos três!)

Miguel said...

Será que já leu o Novo Testamento todo?

Parabéns... é normal que os pais se preocupem, mas pelo que aqui se conta, só existe motivo para um saudável orgulho.

Clara said...

Margarida, só tu...obrigada.


Oh Miguel, se calhar não reparou porque ainda estava no coro mas ela no altar fez tanta careta ao que o frei Pedro disse na missa que a minha vontade era sumir-me por um buraco adentro. Não tem a mínima paciência para a missa e certamente que não vai ler o novo testamento.

Cool Mum said...

Da vaidade, e com toda a razão.
Assim sabem melhor as férias.
Kiss

Sophie said...

Eu lembro-me de ser um bocadinho assim.
Ficava fula quando a minha mãe dizia a alguém que eu tinha tido boas notas. Como se me sentisse um bocadinho envergonhada perante outros que não tinham os mesmos resultados.

claudia said...

Vou chutar este post com um "está óptimo e tomara que assim continue"!!

Tomara, porque neste muito cão, o que nos vale é a realização pessoal, que passa muito pelo saber e pela a inteligência, de forma a que estejamos com os olhos bem abertos e aptos a captar o que interessa!.. e o que não interessa deitar fora!

;)

PS: E tens medo de quê? que ela não esteja a aproveitar a vida, e se esteja a refugiar naquilo que ela mais controla para chegar à perfeição?

Clara said...

não Cláudia, que ela se torne demasiado perfeccionista por um lado, ou se veja desorientada por outro.
A inteligência não é garantia de nada (bem pelo contrário até), a esperteza ajuda mais.

patrícia said...

E preocupa porque?

patrícia said...

pronto pronto, já vi a resposta.
Mas podes contrariar o perfeccionismo. Quando ela for chorar por uma nota "só boa" diz-lhe que não faz mal. Que não precisa de tirar sempre muito bom.

Clara said...

até digo mais, digo-lhe sempre que ninguém é bom a tudo e que isso não tem importância nenhuma (sou a anti-mãe).
Uma vez numa reunião de pais do colégio onde ela andou aos 3 anos, para aí metade dos pais já tinham decidido a faculdade para os filhos, daí a 15 anos, "passa num instante", diziam. Eu só pensava "esta gente é toda muito estranha", agora vê lá o que eles não deviam pensar de mim que dizia "vai para a faculdade se quiser".

claudia said...

Clara, a inteligência autosustenta-se, enquanto que a esperteza não passa de uma mera operação de maquilhagem: é para quem tem vistas curtas!!!

Clara said...

mas a esperteza é a que cria Berardos e a inteligência é a que cria...Einsteins (não consegui um exemplo bem sucedido de portugueses, não é que não os hajam).

Zuza said...

vinha comentar... mas então a Madeira já não é nossa??? credo! já pareço a Flores!!! hihihi

comentando: demasiada modéstia, sobretudo com os filhos, também é defeito! been there.

Clara said...

Zuza, queria dizer portugueses bem sucedidos pela inteligência, já que o outro era pela esperteza.

Margarida Atheling said...

Ora! Sabes bem que é verdade! :)

Zuza said...

eu percebi! que tu não usas smiles mas usas muito bem a pontuação ;)))

Anonymous said...

Been there! Done that!
Mommy

Clara said...

Mãezinha, aqui comenta-se em português, mesmo quem aprendeu a ler e a escrever no colégio inglês.

Mas o meu problema com ela reside exactamente aí, não a quero a seguir os meus passos nem por sombras (3 faculdades diferentes, 2 cursos desistidos, 1 concluído, mais 3 cursos adicionais, demasiado tempo perdido).

Anonymous said...

Então...já há censura neste blog ????
A expressão até é americana (usada com muita frequência) e é uma maneira simples e engraçada de dizer que "tb já me aconteceu"
E tb uso muito smiles em tudo e tb não pontuo bem...porque sou eu!
Mommy

Clara said...

oh, somos as duas extremamente modestas, deve ser genético. Não é censura ou teria apagado o comento.

Costinhas said...

Linda, linda!

(e manda lá a (tua) modéstia dar uma volta nestas situações! ela merece essa toda essa baba de mãe)

beijinhos e parabéns!

(mas estou contigo: A inteligência por si só às vezes não basta... os espertos são os que mais sobem na vida)

pessoas com extremo bom gosto