6.01.2007

Filmes giros

A RTP2 comemora o dia da criança, entre outras coisas, com a apresentação de um filme sobre educação sexual. Eu, sendo a mãe-nazi-fascista-nada-mas-mesmo-nada-liberal que sou, não deixo os miúdos verem (em teoria, na prática nem vou estar com eles a essa hora). É demasiado explícito, o filme. A parte das crianças a gemerem é assustadora, ploamordedeus.
Aquelas crianças do filme também conheciam todas as posições do livro e mais algumas, o que não deixa de ser curioso.
Mas gira mesmo gira foi a parte em que a tradutora de linguagem gestual ao traduzir os tais gemidos das crianças se desmanchou a rir. Natural, eu também me desmancharia.

7 comments:

Varanda said...

Enviaram-me um mail a propósito deste filme que entre outras coisas diz o que vou citar. Não pude comprovar nada da informação que me enviaram, por isso o meu comentário vale o que vale...

" O MOVE viu este filme pela primeira vez há um ano, na sequência de uma queixa de uns pais cuja filha frequentava o 4º ano e tinha 10 anos. Ao chegar a casa, a menina afirmou: “Eu nunca vou ter bebés na minha vida!”. Alarmados, os pais conseguiram perceber que o filme que hoje a RTP2 nos mostra tinha sido mostrado na sala da filha.

Na altura, o MOVE pediu uma opinião profissional sobre o filme a alguns especialistas, entre os quais a Dra. Margarida Neto que hoje estará presente no programa. As opiniões foram unânimes: o filme nunca deveria ser mostrado a crianças destas idades; revela uma total ausência de sentido de privacidade ou de pudor; trata-se de um vídeo desadequado, que não serve o propósito de uma educação sexual positiva, que se quer sobretudo como educação dos afectos, para a responsabilidade, maturidade e felicidade dos nossos filhos

http://www.move.com.pt "

Clara said...

Ufa, Varanda, não sou só eu a achar aquilo demasiado explícito. Passou ontem às 23:30 para os pais decidirem se querem deixar os filhos verem hoje (passa às 20:30).

claudia said...

A minha filha, que tem 6 anos, diz que nunca vai ter filhos e nunca viu o filme. Essa "decisão" que ela tomou do alto dos seus 6 anos, é porque associa a saída dos meninos das barrigas das mães à dor e aos à utilização de bisturis nos casos das cesarianas. Não estou preocupada com a decisão dela. preocupava-me se tivesse 16!!

Acho que não nos devemos alarmar com alarmes próprios da idade. Faz parte do crescimento! Tb há idades em que os rapazes dizem: RAPARIGAS! BLHAC!! e depois é vê-los a correr atrás delas!!

E há sempre a hipótese de não mostrar, se acharmos não estarmos preparados ou não concordarmos!
;)

Margarida Atheling said...

Eu não vi a apresentação, mas a avaliar pelo que dizes e pelo comentário da Varanda, eu faria o mesmo!

Tu és uma mãe quê?! ;D

Bjs!

Clara said...

Claudia, não é certamente por isso que não os deixo ver. Se a minha filha vai querer ou não ter filhos é problema dela, não me preocupa nem agora nem daqui a 20 anos (sou nazi mas não tanto).
A reacção dessa miuda foi obviamente porque viu algo para o qual não estava preparada. Como disse no post, aquilo é demasiado explícito, pornografia destinada a consumo infantil.

Anonymous said...

Eu acho que passa essencialmente por um esclarecimento desde novos que vai evoluindo para explicações mais concretas à medida da maturidade e dúvidas que vão demonstrando. Quem não tem um bom apoio familiar neste assunto, pode na escola não assimilar esta informação da melhor forma e o que fazer com ela. Sem tábus não significa mostrar cenas explícitas. Temos que ser coerentes e não aceitar tudo o que nos é imposto por estes pseudo-psicólogos.

Rakel

Papoila said...

Bolas, também não vi nem a apresentação nem o próprio filme, mas basta a expressão "crianças a gemer" para me provocar um esgar de nojo...
Desculpem lá mas é mesmo essa a palavra: nojo!
Onde é que foi parar a inocência infantil?

pessoas com extremo bom gosto